Tudo sobre impermeabilização com argamassa polimérica


O mercado dos produtos de impermeabilização está sempre trazendo inovações e soluções mais eficientes para os mais diversos casos e situações encontradas na obra.

Como já sabemos, existem os sistemas rígidos, ideais para o uso em situações de pouca ou nenhuma movimentação e também os flexíveis, que são capazes de acompanhar as movimentações térmicas da estrutura.

Com características intermediárias entre os dois, o sistema semi-flexível (ou também conhecido como semi-rígido) é uma solução que ganhou bastante notoriedade, justamente pela sua característica de poder ser utilizada em diferentes situações.

A argamassa polimérica é utilizada como sistema de impermeabilização semi-flexível e pode ser empregada para impermeabilização de cozinhas e banheiros, além de paredes e demais elementos internos e externos.

O que é argamassa polimérica?

Argamassa polimérica é material de base cimentícia, produzido industrialmente com aditivos, polímeros e minerais específicos que conferem ao produto características impermeabilizantes e com uma maior trabalhabilidade do que a argamassa convencional.

O produto é comercializado em sacos, de maneira semelhante ao cimento e à argamassa tradicional, para ser misturado com água e aplicado no local desejado.


A aplicação da argamassa polimérica segue procedimentos próprios de aplicação, e o resultado final é uma superfície rígida, com alta resistência mecânica e com um bom grau de impermeabilização.

Assim como qualquer outro tipo de sistema de impermeabilização, a qualidade da a impermeabilização no final não depende apenas da qualidade do material utilizado.


De fato, em produtos feitos em ambiente industrial em que todas as etapas do processo produtivo são monitoradas, problemas de fabricação são cada vez mais raros. Dessa forma, a qualidade da mão-de-obra tem uma papel fundamental para a garantia de instalação de um sistema de impermeabilização de qualidade.

Sendo assim, seguir os procedimentos normativos é essencial. Em casos em que os produtos ainda não são normatizados, o mais aconselhável é seguir fielmente as instruções do fabricante e contar com mão-de-obra especializada e experiente com o tipo de serviço.

Passo a passo: Impermeabilização com argamassa polimérica


Antes de começar a execução da impermeabilização com argamassa polimérica, a lista de materiais e ferramentas que são necessários:

  • Argamassa polimérica e resina;

  • Trincha ou brocha;

  • Equipamentos de proteção individual tradicionais; e

  • Tela de poliéster.

Opcional que facilita a operação: misturador.

  • Preparo da superfície

Em qualquer tipo de sistema de impermeabilização, a superfície precisa estar limpa e livre de qualquer impureza com desmoldante, partes soltas, pregos, poeira e afins. As impurezas interferem na aplicação, deixando uma superfície não homogênea, além de haver a possibilidade de reação das partes com o produto que está sendo aplicado.

Dessa forma, com o auxílio de uma espátula é preciso limpar e regularizar toda a superfície que será impermeabilizada.

  • Preparação da massa

A argamassa polimérica é comercializada como um produto bicomponente. Isso significa que existem duas partes: a parte sólida, cimentícia, e a resina líquida. A mistura dos componentes deve seguir fielmente as instruções do fabricante. Não se deve adicionar água na mistura.

O misturador mecânico, ou broca acoplável em furadeira, auxilia bastante nesta etapa do processo, promovendo assim uma maior homogeneidade à mistura. O tempo médio de mistura com um equipamento misturador é de 3 minutos.

  • Aplicação

A aplicação da argamassa polimérica é feita com uma brocha ou trincha. A massa deve ser aplicada em demãos cruzadas.

A atenção nesta etapa é para garantir que a massa seja aplicada de maneira uniforme, de forma que não haja pontos heterogêneos na superfície impermeabilizada.

A quantidade de demãos e a quantidade de massa a ser aplicada varia conforme o tipo de utilização, e deve sempre seguida a orientação do fabricante.

  • Tratamento de curvas, juntas e rodapé e proteção mecânica

Os pontos mais críticos neste tipo de aplicação são os rodapés e demais cantos e juntas, onde há uma maior possibilidade de falhas durante a aplicação e também estão mais suscetíveis à falhas devido à movimentação.

Nestes casos é recomendado utilizar uma tela de poliéster entre as demãos, para reforço estrutural do sistema de impermeabilização. Região ao redor de ralos e pontos de drenagem também devem ser reforçados.

Depois do processo de cura, a argamassa polimérica deve ser revestida, porque se trata de um material com baixa resistência mecânica.