Tudo que você precisa saber sobre Selantes, não erre mais!


Pode ser que você já tenha ouvido falar sobre selantes, mas você deve estar se perguntando o que tem de tão especial em saber o que é esse produto.


Então vamos entender sobre o assunto?


Na construção civil, os selantes podem ser classificados pela forma, capacidade de cura e endurecimento, base química, desempenho ou mercado final em que será utilizado. É um produto desenvolvido especificamente para selar aberturas entre dois ou mais substratos, como juntas em fachadas e esquadrias, por exemplo. Sua principal função é impedir a passagem da água, partículas de sujeira, ar e outras substâncias. Sendo assim, este material é extremamente importante para garantir uma maior vida útil para uma estrutura.


Além da função básica de vedação, os selantes podem ter outra utilidade muito importante: de acomodação. Quando usados em juntas de movimentação dos pisos, são capazes de absorver as deformações de retração, variação térmica, vibrações e expansão. Também promovem o acabamento das estruturas e acomodam as variações dimensionais da montagem das edificações.


Os selantes são compostos formados por pré-polímeros, diluentes, cargas e aditivos. A diferença entre os produtos disponíveis no mercado diz respeito ao tipo de matéria prima e à proporção de cada um desses ingredientes. Essas características são responsáveis pela durabilidade e resistência a ambientes externos.


Cada tipo é indicado para uma situação específica, por isso é importante conhecer bem as características de cada tecnologia. Pensando nas diferentes possibilidades, separamos uma lista com os principais tipos de selantes disponíveis no mercado da construção civil.


Confira!


1. SELANTE ACRÍLICO


‍Os selantes acrílicos vem ganhando espaço em nosso mercado, com aplicações cada vez mais técnicas e, em alguns casos, substituindo outros selantes em aplicações com pouca movimentação.


É um material elástico que serve para a selagem de trincas e fissuras em fachadas, pré moldados, juntas de dilatação, fissuras de retração, selagens em vãos em paredes de Drywall, entre outros.


Existem no mercado, desde selantes para aplicação interna de construções, até mesmo selantes acrílicos de alto desempenho para aplicação exterior. Podemos classificar para uso interno, àqueles que atendem às normas ASTM C 834 e ASTM C 920, classe 12.5. Os de mais alto desempenho encontrados no mercado, atendem à norma ASTM C 920, classes 25 e 35. Essas classes já permitem seu uso em aplicações externas, como vedação de janelas e esquadrias.


‍SELANTE ACRÍLICO SILICONADO - SILICONE BASE ÁGUA

O selante acrílico siliconado, nada mais é do que um selante acrílico de alto desempenho, aditivado de silanos, que ajudam promover maior aderência a substratos como concretos e metais, além de aumentar a resistência a umidade do produto. Dessa forma, é possível utilizá-lo em aplicações onde antes somente selantes de silicone ou selantes PU eram utilizados como, vedação de calhas, rufos, pingadeiras e também a selagem de janelas e esquadrias em prédios.


2. SELANTE MS


O MS é um poliuretano modificado com um grupo funcional reativo, o poliéster, também é modificado com um grupo funcional reativo de silicone, por isso MS, “Modified Silicone”. É um selante impermeável de elasticidade permanente, possui ótima resistência a intempéries e raios UV sem alterar suas características.


Por ser um produto mais nobre, o selante MS é recomendado para aplicações com necessidade de um desempenho superior, seja de durabilidade e adesão ou de resistência mecânica. Apresenta grande aderência a vidro, metal, concreto, madeira, materiais cerâmicos, pedras naturais e fibra de vidro. Permite movimento periódico em juntas.


Ele tem uma tecnologia de fabricação mais estável, sem solventes na base de sua formulação. O resultado é uma alta estabilidade de cor e durabilidade devido à modernidade da concepção aplicada no produto. Seu uso é possível em superfícies úmidas e molhadas com a garantia de uma boa flexibilidade de serviço, principalmente em edificações onde há uma elevada exposição às questões climáticas.


Devido à inexistência de solventes, após a aplicação não há o aparecimento de bolhas causadoras de problemas estéticos e de durabilidade. Essa mesma característica faz com que não haja a necessidade de aplicação de primer para ter boa aderência com materiais empregados na indústria e na construção civil.


3. SELANTE PU - POLIURETANO

Os selantes de poliuretano (PU) possuem elasticidade permanente e alta capacidade de recuperação, absorvendo impactos e resistindo ao envelhecimento e a ação da intempérie. A cura é rápida favorecendo montagens mecânicas tornando as juntas impermeáveis com muito mais durabilidade e eficiência.


Com a presença de solventes em sua constituição, o selante de PU apresenta uma tecnologia menos moderna e com menor estabilidade em comparação ao MS. Devido ao seu bom funcionamento como adesivos e selantes para juntas, é muito utilizado em aplicações gerais de construções e indústrias. A base de poliuretano exibe ótima elasticidade e propriedades adequadas de não escorrimento.


Por conterem solventes, eles podem gerar bolhas durante o seu processo de cura, o que compromete a estética e a resistência do material, principalmente em temperaturas mais elevadas. Além disso, o isocianato, presente na fórmula, tem menor durabilidade e estabilidade de cor, principalmente em situações de exposição a intempéries. O grande benefício desse produto é o seu custo, os selantes de poliuretano surgem como uma solução sustentável e econômica em diversos segmentos da indústria e da construção civil.

As suas propriedades são determinadas pelo tipo de cura e polímeros utilizados na formulação. Ao contrário dos selantes de silicone, que utilizam o mesmo tipo de polímero, o selante PU pode ser formulado com uma grande variedade de polímeros. Eles aderem bem ao concreto, tijolo, telhas, pedras naturais e sintéticas, azulejos, cerâmicas, superfícies esmaltadas, madeiras duras, vidros e outros componentes usados na construção civil.


4. SELANTE HÍBRIDO


Originado da mistura de silicone neutro com poliuretano silanizado, o selante híbrido combina as propriedades de durabilidade do primeiro (neutro) com a resistência do segundo (PU).


Normalmente, concorre no mercado com os poliuretanos, pois atende às mesmas aplicações com desempenho superior. Em sua formulação não há solventes e isocianato, por isso são considerados ecologicamente corretos.


Devido à propriedade tixotrópica desse material, é possível a aplicação em superfícies verticais sem escorrimento, além de apresentar boa aderência em ambientes úmidos. A estabilidade dimensional e o seu comportamento neutro dispensam a utilização de primers para preparação das superfícies.


Após o processo de cura, há a formação de um vedante permanentemente elástico, com excelentes propriedades adesivas, módulo elástico e possibilidade de receber pinturas.


5. SILICONES


O silicone é um material que tem sido cada vez mais utilizado na construção civil. Isso se deve ao fato de que ele serve para quase tudo durante uma obra, é aderente a vários materiais e pode ser aplicado desde para vedar uma janela até fixar um rodapé no chão.


Essa versatilidade de aplicações fez com que ele se tornasse um material muito pedido nos depósitos de materiais de construção. Ele facilita os processos de vedação e fixação, agilizando o trabalho e mantendo a qualidade.


O silicone é usado principalmente como selante e impermeabilizante e podem ser utilizados em diversos reparos na construção civil, principalmente por ser uma solução fácil, rápida e prática.


No mercado, há basicamente dois tipos de selantes que são mais conhecidos: o silicone neutro e o silicone acético. Mas... Você sabe a diferença entre cada um deles? Não? Então está no lugar certo, cada uma tem as suas especificidades e por isso é bom conhecê-las bem antes de comprar para evitar frustração com o produto.


Silicone neutro

O silicone neutro é um selante de alta qualidade e totalmente sem cheiro, não libera nenhum tipo de composto químico durante a secagem e por isso, não tem cheiro.


Ele é muito utilizado na construção civil por ter boa aderência aos mais diversos materiais. Possui boa fixação em vidros, madeiras, PVC, alumínio, pedras nobres e metais. Também possui alta resistência a raios solares e por isso é indicado para aplicações em ambientes externos.


Silicone Acético

O silicone acético é utilizado principalmente no setor da construção civil, industrial e moveleiro. Ele leva esse nome, pois sua composição contém ácido acético e é fácil de identificar pelo cheiro ácido, parecido com o cheiro de vinagre.


A grande diferença do silicone acético é a ação fungicida, por isso é muito utilizado em banheiros ou cozinhas por causa da boa fixação em azulejos, vidros e cerâmicas, locais em que há umidade. Por causa da ação fungicida, esse tipo de silicone não deixa proliferar fungos que causam mofo e garantem um tempo de vida útil maior para o ambiente em questão.


Atenção: Essa não é a melhor opção de aplicação para superfícies metálicas por conta do ácido acético, que pode corroer o material.


PROPRIEDADES DOS SELANTES

Os selantes curados no local confiam em suas propriedades de adesão para manter um selo durável e executar as funções necessárias durante sua vida útil. Eles devem acomodar movimentos articulares sem falhar entre as interfaces ou de forma coesa ou causar falhas nos substratos. Com base nesses requisitos, as propriedades de desempenho mais importantes nos selantes de construção são capacidade de movimento, módulo, adesão e expectativa de vida (durabilidade).


As selagens de estruturas dependem diretamente das propriedades dos selantes escolhidos para a aplicação, mantendo assim a vedação perfeita durante o seu tempo de vida útil.


O selante escolhido para o serviço deverá acomodar as movimentações das estruturas, sem causar os três tipos de falhas principais, que são:


Falha Adesiva: patologia em que o selante descola completamente do substrato, sem deixar partes dele na estrutura e nem trazendo parte da estrutura consigo.


Falha Coesiva: tipo de falha em que o selante fica aderido nos substratos, mas rompe no meio de si.


Falha do Substrato: uma falha menos comum de ser vista, mas ocorre quando o selante arranca parte do substrato durante a movimentação da estrutura.


Outro tipo de falha que ocorre muito, em mercados onde o preço é quem dita a escolha dos produtos, é a degradação do selante por exposição ao UV, que está atrelado ao tempo de vida útil do produto.


Com base nesses requisitos, podemos determinar as propriedades de desempenho mais importantes nos selantes para construção que são: a capacidade de movimento, módulo, adesão e expectativa de vida ou durabilidade.

DUREZA SHORE

A dureza Shore em selantes para construção civil representa a dureza do material que será empregado para uma determinada aplicação. A dureza Shore possui diversas escalas, e a mais comum do nosso mercado é a dureza Shore A.


Sabe quando você vai comprar um selante PU, por exemplo, e você vê uma embalagem com o seguinte texto no rótulo, “Selante PU 40”? Pois bem, isso quer dizer o seguinte, que o produto é um selante de base química poliuretano, com uma dureza Shore A de 40.


Dureza Shore está diretamente relacionada ao módulo de elasticidade do material e, consequentemente, à capacidade de movimentação.

MÓDULO DE ELASTICIDADE

O módulo de elasticidade descreve a força exercida por unidade de área de um selante sobtensão. Como a função principal é de aderir aos substratos, com os quais estão em contato, as forças geradas por uma abertura ou fechamento da junta, são transmitidas pelo selante a interface selante-substrato.


Justamente por isso, é importante conhecer seu módulo de elasticidade e também a resistência do substrato.


Por exemplo: o uso de um selante de alto módulo de elasticidade em um substrato “fraco”, como asfalto, poderá resultar em tensões superiores ao que o substrato suporta, ocasionando na patologia de falha do substrato.


CAPACIDADE DE MOVIMENTAÇÃO

Capacidade de movimentação é a quantidade de deslocamento repetitivo que um selante pode suportar continuamente durante sua vida útil, sem falhar.


As normas específicas existentes permitem apenas uma avaliação da capacidade de movimentação inicial dos produtos, mas não inclui a capacidade de movimentação ao longo dos anos. Isso quer dizer que um selante bem dimensionado hoje poderá não funcionar daqui alguns anos, devido ao seu envelhecimento natural, ocasionado pela exposição aos intemperismos.

ADESÃO AOS SUBSTRATOS

Quando aplicados deverão desenvolver a aderência ao substrato para que ele possa desempenhar sua função de vedação. Dentro disso, três aspectos são fundamentais: a taxa em que essa adesão é desenvolvida após a aplicação do selante na junta, o nível e a qualidade da adesão obtida e a durabilidade da adesão.


Em diversas aplicações os selantes são expostos à movimentação natural das estruturas, podendo aumentar as chances de ele não desenvolver uma rápida adesão ao substrato e falhar na fase inicial da sua vida útil.

DURABILIDADE

Uma vez aplicados, os selantes são expostos a uma grande variedade de influências ambientais e de esforços. Uma característica importante em uma junta vedada, é a tolerância ao ambiente em que ficará exposta. Um fator primário na durabilidade do selante é sua capacidade de resistir à degradação introduzida por elementos ambientais como, UVA e UVB, pH, oxigênio e temperatura.


Fatores ambientais e de serviço do selante podem causar degradação da superfície, do volume ou da interface com o substrato durante a vida útil do mesmo. Esses fatores ambientais podem causar degradação da cor, brilho, encolhimento, formação de fissuras e clareamento do material.


‍Sendo assim, a durabilidade é um quesito interessante de ser avaliado. Pois, alguns locais necessitam de maior durabilidade que outros. Por exemplo, uma aplicação em uma junta interna, não necessita de tanta resistência à raios UV-B quanto uma aplicação em uma área externa, que ficará exposta ao tempo.


NORMA DE DESEMPENHO PARA SELANTES

Normas de desempenho para produtos são essenciais para a evolução da qualidade dos produtos utilizados no mercado, além de serem documentações onde o próprio consumidor pode se basear para escolher o produto mais adequado ao uso. Em selantes não é diferente, existem duas normas que são as guias para outras normatizações em diversos países. Essas normas se restringem às especificações e classificações dos selantes.

ASTM C 920

A ASTM C 920 - “Standard Specifications for Elastomeric Joint Sealants” é uma norma norte americana que abrange a especificação de juntas elastoméricas monocomponentes e multi-componentes, para selagem, vedação, calafetagem de envidraçamento de prédios, praças, pisos, construção, rodovias e aeroportos.

ISO 11600

A ISO 11600:2002 - “Building construction — Jointing products — Classification and requirements for sealants” é a norma que mais irá influenciar nosso mercado de selantes. O Brasil ainda não possui uma norma de desempenho para selantes própria, mas isso irá mudar, em breve.


ABNT

Nós não temos uma norma ABNT para o desempenho dos selantes. A elaboração da NBR brasileira está em fase final de elaboração, com base na ISO 11600.

E aí, gostou de conhecer mais sobre esses materiais?

Agora que você já está fera no assunto, pode escolher com mais clareza qual o melhor selante para sua obra, mas lembre-se: Se você tiver alguma dúvida em relação a esse assunto, deixe uma mensagem ou entre em contato conosco:


21 26221993

21 99290-4251


A Isocom é a loja mais completa em materiais técnicos para Construção Civil e está aqui para te ajudar!


42 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo