Integrando a tecnologia solar em fachadas, claraboias, telhados e outros elementos de construção


A mudança climática continua sendo a principal preocupação na política, economia e pesquisa científica globais, particularmente no que diz respeito às indústrias de arquitetura e construção. Essa maior culpabilidade para o campo da arquitetura deriva do fato de que a indústria da construção contribui com 40% das emissões globais, e a demanda no setor de construção está projetada para aumentar apenas 70% até 2050. As energias renováveis fazem parte de um paradigma de sustentabilidade do século 21 que responde às mudanças climáticas e à degradação ambiental, fortalecendo o impulso para a transformação global. Estratégias de produção de energia renovável são necessárias para mitigar futuros problemas de segurança energética à medida que as fontes tradicionais de combustível se tornam cada vez mais escassas e são uma parte indispensável do projeto para a sustentabilidade na arquitetura.


Para lidar com as crescentes preocupações globais em torno das mudanças climáticas e energia renovável, a empresa solar Mitrex criou sistemas inovadores que podem ser adaptados e integrados de forma crítica e criativa para enfrentar novos e antigos desafios relacionados às questões de sustentabilidade.


Historicamente, a captação de energia solar tem sido cara, relativamente ineficiente e dificultada por um design deficiente. Os sistemas fotovoltaicos integrados à construção (building-integrated photovoltaics – BIPV) existentes provaram ser menos práticos e economicamente inviáveis para adoção em larga escala devido às limitações de projeto e estética pobre. Novas ferramentas e tecnologias, tanto para o projeto de edifícios quanto para a construção, têm vindo a auxiliar os arquitetos na criação de edifícios que gerem sua própria energia e sejam autossustentáveis.


Os sistemas solares Mitrex podem ser integrados dentro de um envelope de edifício para gerar energia e, ao mesmo tempo, aprimorar as qualidades espaciais, estéticas e funcionais de um projeto de arquitetura. Eles substituem os materiais de construção convencionais em todo ou parte da envolvente da edificação, incluindo fachadas, claraboias, áreas de telhado e outros elementos de construção externos, embora frequentemente custem o mesmo que os materiais que substituiriam. A partir dessa perspectiva, os sistemas de energia renovável podem ser integrados como elementos funcionais, estéticos e econômicos em edifícios.


Courtesy of Mitrex


Por exemplo, a empresa projetou um revestimento solar leve que pode ser personalizado para qualquer necessidade de construção e design, em conformidade com os ângulos e tamanhos de painel desejados e imita qualquer material do mundo, incluindo acabamentos naturais como mármore e madeira, bem como materiais como cimento e porcelana. Estas opções estéticas são complementadas por uma gama de diferentes cores, padrões, texturas conseguidas através da utilização de um revestimento personalizável. Além disso, esses módulos de revestimento solar não contêm moldura e são produzidos em uma variedade de formas e tamanhos com bordas quase perfeitas que fornecem adaptabilidade adicional para arquitetos. Esta imensa flexibilidade de design contrasta com as restrições rigorosas dos painéis solares tradicionais, que são limitados em tamanho e formas e não são adequados para integração de design.

Solar Cladding / Solar Glass. Image Courtesy of Mitrex


O Mitrex Solar Glass também foi criado com o design em mente, substituindo o vidro normal sem comprometer o desempenho e a funcionalidade. Este elemento pode ser integrado em janelas, abrigos de ponto de ônibus, claraboias, paredes cortina e grades (para citar alguns), maximizando a produção de energia em superfícies não utilizadas. SolaRail, por exemplo, é um produto de guarda-corpo de vidro com opções de níveis de transparência, corrimãos e postes de metal que funcionam como um meio estético e eficaz de geração de energia solar para uso em edifícios.

SolaRail™. Image Courtesy of Mitrex


Em particular, em áreas urbanas densas onde o espaço é limitado, o Solar Glass oferece uma oportunidade econômica e arquitetonicamente sólida para incorporar energia renovável em edifícios estreitos. Esses produtos usam tecnologia solar transparente ou opaca avançada, que permite a personalização total de tonalidades, transparência e tamanho, maximizando a quantidade de energia produzida. Além disso, o Solar Glass tem circuitos integrados e pontos de conexão para todos os componentes elétricos para garantir uma aparência uniforme, não interferindo na estética estrutural.


No entanto, esses produtos não são projetados apenas para grandes empresas e edifícios caros. O telhado solar da Mitrex é projetado para parecer essencialmente indistinguível dos materiais de cobertura tradicionais, como asfalto e telhas de ardósia, ao mesmo tempo em que gera energia limpa. O produto oferece aos proprietários de residências unifamiliares um meio de reduzir sua pegada de carbono e sua dependência à rede. Casas de baixa densidade com telhados solares não são um fenômeno novo; no entanto, os recentes avanços tecnológicos dão aos construtores e arquitetos a opção de adotar iniciativas verdes sem comprometer o design de uma casa. Os sistemas Solar Roof estão disponíveis em uma variedade de cores e padrões estáveis aos raios ultravioleta e resistentes ao desbotamento, de acordo com as necessidades do projeto. Nenhuma instalação especializada é necessária e, uma vez instalados, seus elementos não requerem manutenção, pois são tratados com um revestimento anti-manchas que reduz o acúmulo de poeira e sujeira nas superfícies.


Courtesy of Mitrex


Essas tecnologias têm o potencial de produzir um efeito tangível no uso de energia e nos esforços de sustentabilidade onde quer que sejam implementadas. A adoção generalizada de módulos solares integrados em edifícios tem o potencial não apenas de reduzir a pegada de carbono de uma cidade, mas também de atender à demanda crescente e ao fornecimento insuficiente de energia. Para se ter uma ideia melhor, um edifício típico de 30 andares com tecnologia solar integrada produz aproximadamente 13 milhões de kWh de energia, compensando 9.500 toneladas métricas de CO2 em 30 anos. O impacto da adoção em grande escala pode ser histórico.


Fonte: Arch Daily - retirado de: https://informediario.com.br/2021/06/08/integrando-a-tecnologia-solar-em-fachadas-claraboias-telhados-e-outros-elementos-de-construcao/


5 visualizações0 comentário