08/Março – Dia Internacional da Mulher: Conheça as mulheres que fizeram história na Construção Civil

Conheça a história de grandes mulheres na construção civil e descubra a força da presença feminina no setor.

Não existe forma melhor de celebrar o Dia Internacional da Mulher se não reconhecendo o poder e trabalho duro de mulheres que fazem parte do crescimento e história da construção civil.


O setor de engenharia sempre foi marcado pela presença masculina e, por muito tempo, considerou mulheres como 'sexo frágil' e incapaz de desempenhar as atividades que o setor exige.


A construção e o canteiro de obras sempre foram considerados como zona de força bruta, ideia que foi modificada com o passar dos anos.


Com ofertas de salários melhores, espaço para crescimento profissional e maior liberdade de atuação, a inserção e destaque cada vez maior de mulheres na construção civil é uma tendência que se renova a cada ano.


Os grandes avanços da presença feminina na construção são resultado de anos de batalha de grandes mulheres por mais espaço. Algumas conquistas não podem nunca ser ignoradas e, por isso, trazemos um pouco sobre 6 mulheres que não podem ser jamais esquecidas.


1. Emily Warren Roebling

Emily foi uma grande colaboradora em um dos maiores projetos de engenharia da história americana. Quando seu marido ficou doente em 1872, ela assumiu a supervisão diária da construção da Ponte do Brooklyn, em Nova York, lidando com os operários, políticos e engenheiros envolvidos na obra. Seu papel foi muito mais do que de porta-voz, usando seus conhecimentos e estudos em engenharia para contribuir com o projeto. A ponte que estava ainda, uma semana longe de ser aberta ao público quando uma mulher determinada chamada Emily Warren Roebling atrelada a um grupo de cavalos se tornou a primeira pessoa a atravessá-la.


2. Nora Stanton

Uma das primeiras mulheres nos Estados Unidos a se formar em engenharia, formada pela Universidade Cornell em 1.905. Primeira mulher aceita como membro da Sociedade Americana de Engenheiros Civis, tendo trabalhado, ainda, para a Companhia Americana de Pontes e para o Conselho de Abastecimento de Água de Nova York.



3. Patricia Galloway

Ser a primeira presidente da Sociedade Americana de Engenheiros Civis, em 152 anos de história da instituição, diz muito sobre a Patricia Galloway. A engenheira também já escreveu vários livros sobre engenharia e chegou a ser nomeada membro do US National Science Board. Ela serviu de 2006 a 2012, tendo sido escolhida pelo presidente dos EUA, George W. Bush, para o trabalho.


4. Enedina Alves Marques

Enedina Alves Marques foi, nada mais, nada menos que a primeira mulher negra a se formar engenheira civil em todo o Brasil. Ela foi também a primeira engenheira da região Sul do País.




5. Evelyna Bloem Souto

Evelyna foi a primeira aluna mulher do curso de engenharia civil da USP, em São Carlos. Mas sua história, mais do que mostrar conquistas, nos ensina muito sobre o preconceito que existia no setor. Quando estudante conseguiu uma bolsa de estudos em Paris, na França, em visita com sua turma de faculdade a um túnel em construção foi obrigada a se vestir com roupas masculinas e desenhar barba e bigode no rosto. A entrada de mulheres não era aceita na construção, mesmo que a universidade abrisse espaço nas salas de aula.


6. Maria do Amparo Xavier

Maria é reconhecida como a primeira mulher mestre de obras da Bahia. Sua inserção na construção civil foi lenta e gradativa, tendo começado varrendo canteiros de obra. Ela passou por todos os cargos: servente, carpinteira, pedreira e armadora, enfrentando muito preconceito por ser mulher durante todo seu percurso até o cargo de mestre de obra. Atualmente, Maria defende a presença de mulheres e contribui com o setor nos cargos de secretária da Mulher da Força Sindical e no Sintepav/Bahia.


Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive no canteiro de obra


A construção civil ainda enfrenta muito preconceito no que diz respeito à presença de mulheres em canteiro de obras. No entanto, com a evolução das tecnologias e da mentalidade da sociedade, aos poucos a ideia de que só é possível trabalhar na área tendo força bruta começa a cair por terra.


Além disso, mulheres tem se apresentado cada vez mais qualificadas e se destacam em sua capacidade de coordenar e organizar atividades das construtoras.


Por esses e outros motivos, reconhecemos as importantes contribuições de mulheres para o setor e parabenizamos a todas, desejando que sejam cada vez mais respeitadas e aceitas pelo mercado.


Feliz Dia Internacional das Mulheres!

08 de Março



21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo